top of page

FÓRUM SAÚDE

A ProduNats criou um espaço a pensar em si. Aqui pode obter todas as informações que desejar. 

A ProduNats disponibiliza profissionais da área da saúde que o podem aconselhar ou esclarecer.

Sugestões mensais

Gota - Uma Doença Reumática

 

A gota é uma doença reumática cuja prevalência geral em Portugal é de 1,3%. Afeta sobretudo homens (2,6%) e apenas 0,08% das mulheres, na grande maioria dos casos na pós-menopausa (Estudo EpiReumaPt - Sociedade Portuguesa de Reumatologia).

Surge como consequência da deposição de monourato de sódio sob a forma de cristais (ácido úrico) nas articulações e, com menor frequência, no rim e tecido subcutâneo. Esta acumulação ocorre na presença constante de hiperuricemia, isto é, concentração elevada de ácido úrico no sangue (níveis superiores a 6,8 mg/dL).

A hiperuricemia é, assim, um dos principais fatores de risco da gota, podendo resultar da produção excessiva de ácido úrico pelo organismo ou da excreção diminuída deste (maioritariamente por via renal). No entanto, nem todos os casos de crise estão obrigatoriamente associados a concentrações séricas elevadas de ácido úrico.

O consumo excessivo de alimentos ricos em purinas (carne, marisco, vísceras) e de bebidas alcoólicas, a insuficiência renal, a obesidade, a hereditariedade, algumas patologias (diabetes, hipertensão arterial) e a toma de certos medicamentos (designadamente diuréticos) podem, também, propiciar o aparecimento de gota.

Esta doença pode manifestar-se por crises agudas, em que subitamente aparecem sinais de inflamação acentuada (rubor, inchaço, aquecimento e dor) de uma articulação (artrite), resultado da deposição de cristais de ácido úrico. De início é afetada apenas uma articulação, na grande maioria dos casos, no primeiro dedo do pé (podagra), sendo tipicamente os membros inferiores os mais afetados (pé, tornozelo e joelho). Contudo, as articulações dos membros superiores (mão, pulso e cotovelo) também podem vir a ser atingidas mais tarde.

A acumulação de ácido úrico em excesso nos rins provoca insuficiência renal e aumenta o risco da formação de cálculos renais. Pode, igualmente, ocorrer nos tecidos em redor da articulação e originar "tofos gotosos" (que podem infetar).

Na gota crónica, são afetadas cada vez mais articulações, mais vezes e durante mais tempo. Para além disso, começa a  haver a destruição progressiva das articulações com consequente deformidade e perda de função. A inflamação e a dor passam a ser contínuas e incapacitantes.

Torna-se, desta forma, imprescindível manter os níveis de ácido úrico normais, controlar a inflamação e proteger e fortalecer as articulações.

Produtos: Alho, OsteoFlex Nat, Boswelia + Curcuma.

 

Os Perigos da Pressão Arterial Elevada

 

Apenas metade dos portugueses tem conhecimento que sofre de hipertensão arterial (HTA), 1 em cada 4 está devidamente medicado e somente 11% consegue ter realmente a sua tensão arterial controlada (Fundação Portuguesa de Cardiologia).

A HTA é, então, um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

A pressão arterial normal, para um adulto sem comorbilidades, é igual ou inferior a 80 mmHg (a "mínima" ou diastólica) e 120 mmHg (a "máxima" ou sistólica).

A tensão arterial elevada pode provocar sintomas como dores de cabeça, tonturas e hemorragia nasal. Porém, um dos grandes problemas é que esta é normalmente assintomática, ou seja, uma pessoa pode sofrer de HTA e não ter sintomas.

A pressão arterial não controlada tem repercussões importantes para a saúde.

Ao longo do tempo, o coração tem que fazer um esforço maior para conseguir bombear o sangue necessário e fazê-lo chegar a todos os órgãos e células do corpo através das artérias, por forma a manter o organismo vivo e saudável. Isto faz com que o músculo cardíaco esteja constantemente em esforço e, a longo prazo, haja um aumento do tamanho do coração. Por sua vez, esta hipertrofia pode resultar em insuficiência cardíaca, angina de peito ou arritmia (batimentos cardíacos irregulares).

Outra das consequências da HTA é o aparecimento de lesões nas paredes das artérias devido à grande pressão exercida no seu interior durante a passagem do sangue e que causa um sucessivo estiramento das mesmas. Estas lesões fazem com que surja um espessamento e uma perda de elasticidade das paredes das artérias, originando aterosclerose e acidentes vasculares cerebrais (AVC).

É, assim, fundamental efetuar a medição regular dos valores de pressão arterial e mantê-los controlados ao longo do tempo para ter uma boa saúde cardiovascular, prevenindo doenças cardíacas e potenciais complicações.

Produtos: Crataegus. 

O Que é a Dislipidémia?

 

A dislipidémia é uma alteração dos níveis de lípidos, isto é, da quantidade de gorduras no sangue. No organismo humano salientam-se o colesterol e os triglicéridos.

Os lípidos são importantes para o funcionamento do organismo e para a atividade das células, embora seja em pequenas quantidades.

O colesterol é essencial para as paredes das células e para a síntese de determinadas hormonas, de vitamina D e de ácidos biliares (necessários para a digestão dos alimentos, principalmente os que são ricos em gordura). Ajuda, ainda, na absorção de vitaminas lipossolúveis (A, D, E, K).

Todavia, os lípidos em excesso tornam-se prejudiciais para a saúde.

Existem diversos tipos de dislipidémias, consoante o tipo de lípidos em causa. Como tal, distinguem-se a hipercolesterolémia (colesterol em excesso), a hipertrigliceridémia (aumento dos triglicéridos) e a dislipidémia mista (níveis elevados de colesterol e de triglicéridos em simultâneo).A porção de lípidos existente na circulação sanguínea é dependente da quantidade que é produzida pelo fígado e da quantidade que é ingerida através da alimentação.

Logo, a dislipidémia pode ser de origem genética (em que o próprio organismo produz lípidos em excesso) ou ser causada por ingestão exagerada de gorduras saturadas (através da alimentação), sedentarismo, obesidade, resistência à insulina, doença hepática, hipotiroidismo, Diabetes mellitus ou uso continuado de determinados medicamentos (contracetivos, estrogénios, corticosteroides).

Todos os tipos de dislipidémia constituem um risco acrescido de desenvolver doenças cardiovasculares, pois consistem na acumulação de gordura no interior das artérias, o que reduz o seu diâmetro e causa obstrução à passagem do sangue.

Produtos: Óleo de Salmão, Lecitina de Soja.

Saiba como é constituÍdo o Organismo Humano

bottom of page