Banaba (Lagerstroemia speciosa

 

Lagerstroemia speciosa é oriunda da Ásia e pertencente à família Lythraceae. É vulgarmente conhecida como Banaba. Esta planta medicinal é utilizada, com elevada eficácia, no tratamento da Diabetes mellitus.

Desde 1990, têm sido realizados numerosos estudos in vitro e in vivo, comprovando, de forma consistente, a ação antidiabética de Lagerstroemia speciosa. [1]

 

Os principais compostos ativos desta planta encontram-se no extrato das suas folhas. Destacam-se o ácido corosólico (triterpeno) e a lagerstroemina (composto polifenólico, que pertence aos elagitaninos). [1]

 

Possuem uma ação hipoglicemiante, isto é, reduzem a glicémia (níveis de glicose no sangue). Estimulam, não só, a entrada de glicose nas células (que se encontra dificultada no doente com Diabetes mellitus), como também a degradação da glicose (glicólise). Inibem, ainda, a gluconeogénese, ou seja, a formação de novas moléculas de glicose. Tudo isto contribui para que os níveis de glicémia baixem para valores considerados normais. [2]

 

Lagerstroemia speciosa apresenta, portanto, uma ação semelhante à insulina (sem haver sinergismo entre as duas). No entanto, a utilização desta planta revela-se muito mais vantajosa no que respeita a efeitos adversos. [1, 2]

A insulina, em simultâneo com o seu efeito hipoglicemiante, promove a biossíntese de lípidos nos adipócitos (células onde é armazenada a gordura), provocando um aumento de peso nos doentes diabéticos.

O aumento de gordura visceral (na zona abdominal) e o consequente ganho de peso são efeitos adversos frequentes da terapia com insulina.

A obesidade é, também, um dos fatores de risco para a Diabetes mellitus tipo 2.

 

De acordo com estudos clínicos realizados, o extrato de Lagerstroemia speciosa reduz significativamente os níveis sanguíneos de glucose e exibe uma atividade anti-adipogénica pela redução efetiva de ganho de peso e de tecido adiposo. A sua utilização é, portanto, muito útil no tratamento da Diabetes, em particular, quando há adiposidade (Diabetes mellitus tipo 2). [2, 4]

 

Alguns estudos sugerem, ainda, que Banaba pode ser útil no tratamento de doenças renais e de casos de hiperuricémia (presença de ácido úrico no sangue em excesso). [3]

 

Esta planta possui uma atividade antioxidante e, em alguns casos, contribui para a redução dos níveis de colesterol total. [4]

 

Referências:

[1] Guy Klein, et al. Antidiabetes and Anti-obesity Activity of Lagerstroemia speciosa. eCAM. 2007; 4 (4): 401-407.

[2] Miura T., Takagi S., Ishida T. Management of Diabetes and Its Complications with Banaba (Lagerstroemia speciosa L.) and Corosolic Acid. Evidence-Based Complementary and Alternative Medicine. 2012; 1-8.

[3] Unno T., Sugimoto A., Kakuda T. Xanthine oxidase inhibitors from the leaves of Lagerstroemia speciosa (L.) Pers. J Ethnopharmacol. 2004, 93 (2-3): 391-395.

[4] Stohs S., Miller H., Kaats G. A review of the efficacy and safety of banaba (Lagerstroemia speciosa L.) and corosolic acid. Phytother Res. 2012, 26 (3): 317-324.

 

Clique e veja o(s) produto(s) que contém: